BLOG
Comportamento Informação
24/07/2018
De Jundiaí para a “maior cidade pequena do mundo”

Visitamos o Porto Digital do Recife e queremos dividir essa experiência com você.

 

No início deste mês tive a oportunidade de estar, com alguns dos gestores da GOGO Digital, numa imersão no Porto Digital de Recife (PE), que abriga hoje 300 empresas e instituições dos setores de Tecnologia da Informação e Comunicação, Economia Criativa e Tecnologias Para Cidades. O parque conta com três incubadoras de empresas, duas aceleradoras de negócios, seis institutos de pesquisa de desenvolvimento e organizações de serviços associados, além de diversas representações governamentais. Só para se ter ideia, o conjunto das empresas que fazem parte do Porto reúne mais de 9.000 profissionais, sendo 800 deles empreendedores e faturou, em 2017, aproximadamente R$ 1,7 bilhão.

A sensação de andar pelas ruas carregadas de história do Brasil  trouxe um misto de lições duras do passado e boas ideias para um futuro que ali, entre os rios Capibaribe e beberibe, já é o presente. O Porto Digital atraiu para o Recife Antigo dezenas de empresas de outras regiões do Brasil, além de várias multinacionais e centros de tecnologia. A expectativa é que, até 2020, cerca de 20 mil pessoas trabalhem em empresas embarcadas no parque tecnológico.

 

 

Esses números impressionam. Parte desse resultado é fruto de uma gestão compartilhada entre iniciativa privada, governo e universidades. Mas o essencial são as pessoas. Foi lindo ver como as comunidades parecem receber positivamente as iniciativas do Porto e, aos poucos, se transformarem. Para nós, ficou clara a forma de como a cultura de inovação, focada em desenvolvimento humano e sustentável, é um objetivo a ser seguido pelos colaboradores e incentivadores do Porto. Claro que, como qualquer organização, deve ter seus grandes desafios, falhas e pontos a serem melhorados, mas o que fica é a imagem de um Brasil que acredita e faz, mesmo que todo o resto pareça contra.

Voltar para Jundiaí, cidade do interior de São Paulo, onde a GOGO está fisicamente instalada, foi como voltar menos sozinhos. Vivemos hoje numa das melhores cidades do Brasil, que está entra as 10 primeiras cidades com maior PIB do estado, com uma história de sucesso em muitas frentes, mas que precisa desafiar o status quo e inovar. Apesar das tentativas isoladas de agentes da inovação que temos aqui, os pernambucanos nos ensinaram que sem o esforço em diferentes frentes e a visão multidisciplinar com foco no ser humano é impossível falar em qualquer tipo de revitalização e inovação.

A parte essencial para dar liga nessa mistura são as pessoas: é o que acreditamos ser o Fator H. Quando nós, seres humanos, decidimos ser coletivamente criativos e globalmente disruptivos em busca de novas soluções para o bem de todos, somos capazes de criar valor.

Voltamos cheios de vontade de continuar servindo como agentes da transformação e com ainda mais orgulho de ser do interior! E, apesar da fama do recifense de megalomaníaco, o Porto Digital é de fato um grande feito para nós, brasileiros. Bora nos inspirar!

 

Nota: Também prefiro Reginaldo Rossi a Roberto Carlos, rs. Todos amamos o Instituto Ricardo Brennand. O Junior Scalav ronca.